Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

PCDF cumpre mandados em investigação de esquema de 'rachadinha' na CLDF - LUZIÂNIA

Fale conosco via Whatsapp: +55 61 9 9404-1302

No comando: Madrugada 98

Das 00:00 às 04:00

No comando: Madrugada Luziânia

Das 00:00 às 07:00

No comando: Fatos em Foco

Das 06:00 às 07:00

No comando: Santa Missa

Das 07:00 às 08:00

No comando: Fala Povo Fala Cidade

Das 07:00 às 08:00

No comando: A Cidade em Destaque

Das 08:00 às 12:00

No comando: Bom Dia Cidade

Das 08:00 às 12:00

No comando: Tempero Nordestino

Das 12:00 às 16:00

No comando: A Tarde é Show

Das 12:00 às 16:00

No comando: A Tarde é Show

Das 12:00 às 16:00

No comando: Pediu Tocou

Das 16:00 às 17:00

No comando: Festa da Lú

Das 16:00 às 19:00

No comando: Festa da Lú

Das 16:00 às 19:00

No comando: Clássicos Sertanejos

Das 17:00 às 19:00

No comando: Estúdio 98

Das 19:00 às 20:00

No comando: Voz do Brasil

Das 19:00 às 20:00

No comando: Vitrine Sertaneja

Das 20:00 às 00:00

No comando: Estação 98

Das 21:00 às 00:00

No comando: Clássicos Sertanejos

Das 04:00 às 06:00

No comando: Top 98

Das 20:00 às 21:00

PCDF cumpre mandados em investigação de esquema de ‘rachadinha’ na CLDF

A Polícia Civil cumpriu quatro mandados de busca e apreensão durante uma operação que investiga oito pessoas envolvidas em esquemas de “rachadinha”, prática em que funcionários de gabinetes devolvem parte do salário para o contratante, na Câmara Legislativa do Distrito Federal.
A ação policial ocorreu na manhã desta segunda-feira (2/12) no Plano Piloto e no Gama, por meio da Coordenação Especial de Combate a Corrupção e ao Crime Organizado (Cecor/Draco).
Operação Escalada é o desdobramento da primeira fase da ação policial ocorrida em 20 de setembro, com o cumprimento de uma prisão temporária e dois de busca e apreensão, expedidos em desfavor de um funcionário lotado no gabinete da deputada distrital Telma Rufino (Pros).
Na época, o funcionário foi preso suspeito da prática de tráfico de influência e de delitos de falsidade ideológica, entre outros crimes, ainda em apuração. De acordo com a Polícia Civil, ele se valia do cargo que ocupava e abusava da confiança que lhe foi depositada. A corporação esclareceu que não haviam indícios de participação da deputada nas condutas investigadas.
A suspeita é que o funcionário tenha começado as atividades por ajustes de outro deputado do mesmo partido, Fernando Ferndandes (Pros), que segue em investigação.
Fonte: CB

Deixe seu comentário:

Nossa Página